Blog

Dia das Mães

08/05/2016

 

Hoje provavelmente o seu Facebook amanheceu repleto de imagens de perfeição expressando o Dia Das Mães.

 

E o que isso tem a ver com a sua mãe de verdade?

 

Quase tudo. 

 

Para que a sua vida fosse possível, primeiramente foi necessário que a sua mãe tivesse coragem para colocá-lo no mundo, sabendo que essa seria uma responsabilidade para o resto da vida.

 

 

 

Para o seu desenvolvimento psicológico saudável, a fase da amamentação foi essencial para que você tivesse não nutrição, mas também  a sensação de proteção e confiança no vínculo que vem através desta primeira relação da sua vida.

 

Ao acompanhá-lo crescer, ela teve o papel fundamental de educá-lo. Talvez ela tenha tido inúmeras inseguranças sobre o que era certo e o que era errado durante este processo e também em todas as etapas que você viveu. Pode ter certeza, tentar saber o que era melhor para você foi um grande desafio para ela (e talvez continue sendo até hoje).

 

Nossas mães possuem um papel crucial no nosso desenvolvimento enquanto seres humanos.

 

Porém as imagens que nelas foram projetadas ao longo dos tempos, enquanto mães e enquanto mulheres,  quase proíbem-nas da liberdade de serem quem são, da forma como são e poderem expressar-se cada uma à sua maneira. Pois os filhos e a sociedade muitas vezes esquecem que as mães, além de mães, são primeiramente mulheres e também seres humanos.

 

E se você sentir que teve alguma falha ou falta de sua mãe em qualquer fase do seu desenvolvimento, saiba que enquanto você crescia ela também crescia e aprendia com você a cada etapa da da sua vida. 

 

E que devido a época em que ela viveu (essa é a história da humanidade até aqui), provavelmente ela precisou se recatar muitas vezes, e também engolir muitas raivas, medos, frustrações, deixar sonhos para trás, renunciar a própria existência para corresponder às suas expectativas e às do mundo e atender a imagem que se "espera" de uma mãe perfeita: imaculada, intocável, sempre serena, amável, paciente e incondicionalmente devota aos filhos, ao marido (ou aos homens que a largaram para carregarem a responsabilidade de criar os filhos sozinhas) e às pessoas que dela sempre exigiram, muitas vezes sem dar nada (ou muito pouco) em troca a essas mulheres que são as verdadeiras sustentadoras da vida em nosso mundo e em nossa humanidade.

 

Talvez você tenha internamente desejado e até exigido da sua mãe a perfeição. 

 

E talvez não tenha se dado conta de que essa sua expectativa foi um desenho criado e literalmente pintado em telas sobre a imagem da mulher perfeita, há aproximadamente 2000 anos.

Pensei que mulher humana não possui individualidade, sonhos, pecados, falhas e inclusive sexualidade, além do desejo e direito de ter voz sobre a própria vida.

 

Mães, antes de serem mães, são seres humanos, longe de serem o reflexo da perfeição (e quem disse que elas desejam isso?)

Elas querem  atuação no mundo do trabalho, querem ter o direito de ganhar e usufruir como bem entendem do dinheiro, querem opinar na política, nas causas sociais, querem ser amadas e respeitadas como mulher -e não como objeto de servilismo ou apenas de desejo carnal - querem dizer ao mundo quais são seus sonhos de paz e de que cada criança e nação tenha o direito de ter todas as suas necessidades básicas supridas acima de qualquer disputa por poder ou sede por guerra.

 

Por isso se você exige a perfeição da sua mãe e acredita por qualquer motivo que seja que o que falta na sua vida foi causado por ela, sugiro que você reveja seus conceitos sobre quem é a sua mãe, e principalmente sobre a sua capacidade de ser e perceber-se como adulto, capaz de realizar por si o que lhe falta em sua vida e libertar-se das amarras sobre quem sua mãe deveria ser para que você tivesse uma vida psicológica perfeita.

 

Este não é um mundo de perfeição, e nem de histórias perfeitas.

 

E caso você conheça alguém (seja amigo ou terapeuta) que compactue com você ao depositar suas frustrações em sua mãe, eu lhe aconselho a defender suas próprias origens, independente do que tenha acontecido a você ou à sua família, pois nas suas raízes está sua força e, caso exista ainda fraquezas que você identifique, cabe a você continuar essa história vencendo as missões que ainda estão por serem vencidas e construídas, estejam elas na sua vida amorosa, familiar, profissional, financeira, sexual ou seja lá onde você queira focar a realização dos seus sonhos: eles estão à sua frente, e não em quem lhe deu a vida e lhe apóia logo atrás de você para que você siga o seu próprio caminho.

 

São as mães que merecem toda retribuição em forma de afeto, respeito, admiração, mesmo quando aparentemente possam não ter lhe dado tudo o que você possa ter idealizado de uma mãe perfeita, pois graças a ela e a tudo o que ela enfrentou na vida e até mesmo por você , talvez muitas coisas que poderiam ser piores em seu caminho não aconteceram porque ela certamente amorteceu a queda e venceu muitas e muitas histórias pesadas, que certamente, por ela ter nadado contra a corrente e interrompido tantas dores, essas não foram necessárias você sentir na pele e talvez você nunca imagine quantas outras tantas histórias difíceis, graças a ela, hoje sequer fazem parte do seu destino. 

 

Isso é amor. E ele é invisível.

Mas você estar vivo é aprova de que este amor deu certo, simplesmente por ter chego até aqui, apesar de tudo o que aconteceu.

 

Please reload

Procure por tema:

DANIELE TEDESCO

CONSTELAÇÕES SISTÊMICAS, INTUIÇÃO E ENERGIA HUMANA

Telefones: (51) 99167-5151 (48) 99977-9567